quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Construções: Progresso X Problemas Ambientais.




                Há muito tempo, existe um modelo de desenvolvimento, que de varias maneiras é socialmente distribuído. Nele o desenvolvimento científico é de grande importância porque ele gera desenvolvimento tecnológico e este, por sua vez, gera desenvolvimento econômico, o qual conduz ao desenvolvimento social. Trata-se de um modelo linear bastante simples, mas que nas ultimas décadas foi bem questionado e tem se mostrado totalmente inapropriado. Nosso progresso, portanto, foi uma questão predominante racional e intelectual, e essa visão atingiu agora um estagio alarmante, uma situação tão contraditória que chega a insanidade. Podemos controlar tantas besteiras, mas somos incapazes de controlar a fumaça poluente expelida pelos nossos automóveis e nossas fabricas, somos incapazes de ajudar o meio ambiente, somos incapazes de administrar a nossa cidade.
                Se por um lado a construção civil demonstra um cenário de progresso em são Luis, ela é acompanhada de grandes problemas ambientais para a cidade. A construção civil em são Luis vive a sua melhor época. Em cada canto da cidade é possível observar um anuncio de um novo empreendimento a ser construído. As ofertas são tentadoras e as formas de pagamentos cada vez melhor. Entretanto os prejuízos que isso vem causando com o desmatamento de lugares preservados, com a destinação dos entulhos utilizados nas obras nem sempre são recolhidos de forma recomendável e os impactos ambientais são as principais conseqüências.
                  Entretanto todo o lixo produzido em áreas urbanas do país é da construção civil. Em São Luis são toneladas de resíduos sólidos das construções por dia. Esses resíduos quando jogados em áreas de preservação permanente podem provocar grandes prejuízos ambientais. Entre eles: obstrução por sedimentos ou detritos em um rio ou canal, perda de biodiversidade e redução do bioma no mangue. Outro problema encontrado é que na capital ainda não existe uma bacia receptora para coletar o material produzido pelas construtoras e os resíduos são encaminhados para o aterro, onde só deve ser depositado lixo orgânico.

Por: Julyana Christine Souza

Um comentário:

  1. mt bacana a idéia de vcs, concerteza ainda há tempo pra recuperar a nossa são Luís basta querermos :]

    ResponderExcluir